fevereiro 28, 2015

Na mesma Paisagem

[Flores que se despem
Pétalas que renascem
Todo o momento cria
Sentidos 
Todo o momento
Surge
Contigo
Na mesma paisagem.]





Texto e imagem de © João Abreu

fevereiro 27, 2015

Olhar

[Criar o instante 
Neste instinto 
Forma como te
Vejo
Olhar 
Profundo 
Despertar  
Incessante poesia.]


Texto e imagem de © João Abreu

fevereiro 26, 2015

Correntes d'Escrita de dia

[Diz-me 
A cor da tua corrente
Sente a liberdade 
Que te aprisiona 
Em reflexo 
Esse espelho 
Que te contempla 
Mergulhado nesse mundo
Por que tanto aspiras
Como só tu sabes moldar
Diz-me 
O sentido da tua corrente
Sente a escrita
Conquistar-te
Com palavras.]





Texto e imagem de © João Abreu

Correntes d'Escrita à Noite

[Noite
Uma história 
Sombras 
Cobrem sentidos
Surgiste
Alma minha
Vive 
Confortada
Cor
Conquistada
Rua que corre
Serena
Brilha
Desenhei  
Correntes de escritas.]





Texto e Imagem de © João Abreu

fevereiro 24, 2015

Contempla esta linha

[Ficas?
Observa
Este horizonte 
Que sopra
Histórias de
Amanhã 
Em cada acordar
Uma simplicidade 
Tão bela
Como a luz
Deste instante 
Sonha 
Não te ausentes.]




Texto e Imagem de © João Abreu

fevereiro 23, 2015

Combinações

[Acrescento pétalas de sentimento
Ao meu instante 
Cores de palavras 
Ao meu poema
Realce aos detalhes
Celebro os encantos
Encontros
Deixar fluir 
Meios tons 
Cruzo memórias 
Com paixões 
Caminhos
Com almas
Conto histórias 
De múltiplos contrastes.]




Texto e imagem de © João Abreu




Escrevo para te mostrar

[Brotar do emaranhado das cores
Florir os instantes nos encantos certos
Capturar momentos
Contagiado pelos tons
Apresso-me a mostrar-me
Sentidos
Através do eu. Escrevo
Para que sintas
O que por ti contagio.]




Texto e Imagem de © João Abreu

fevereiro 22, 2015

A simplicidade do Belo


Eu. Porque escrevo?

Eu

Vivo. Tudo tem um propósito.
Amo cada cor.
Quando sinto o momento, escrevo
Quando escrevo, ouço a fotografia.
Existe sempre esta dualidade.
Descubro os momentos para torná-los em instantes e deixo-me levar pelo que sussurram.
Na edição (da fotografia) destaco realces que despertam palavras.
Os cenários são reflexo do que escrevo. Tenho de partir para a escolha do [instante] adequado.
Tudo ganha uma forma de escrever
De sentir
De saborear
Vontade de sentir mais, ir mais além.
Partilhar.
Viver.



Porque escrevo?

Para dar vida à fotografia,
Criar imagens.
Estados de alma em forma de imagens.
Pela simplicidade dos encantos.
Fazer com que cada um seja personagem, faça parte do cenário. Se sinta lá.
Para efervescer sentimentos.
Aos melhores [instantes].
Para mergulhar nas vivências sentindo cada prazer pela liberdade.

Tudo acontece.
Os [instantes] surgem.

Existe um mundo em que todos os tons preenchem uma alma. O meu mundo.
Cada tom tem o seu poema.
Cada poema reflete o seu [instante].

fevereiro 12, 2015

Entre as cores



[Entre o verde
E o azul
Esperas
Para mudar os contrastes
No exato momento
Quando as cores renascem
E tu,
Regressas.]


Imagem e Texto de © João Abreu

fevereiro 09, 2015


O duelo

[Chego
Observo
Sinto o vento
Simplicidade
No rosto
Observo
Repousante
Paisagem
Em teu olhar
Vagueio
Meigo
Moldas
Na perfeição
Do duelo.]



Texto e Imagem de © João Abreu

fevereiro 05, 2015

fevereiro 04, 2015

O frio em contraste

[Frio
Transforma 
Contrastes
Luz 
Invade
Cenários 
Aquece
Paixões 
Nós 
Prosseguimos 
A vida
Com cor.]



Texto e imagem de © João Abreu 

Sorrir

[Ver-te
Assim
No encanto das cores
Levas-me no conforto do teu olhar
Sinto-te na calma do teu brilho
Sorrindo contigo
Natureza
Sempre.]




Texto e Imagem de © João Abreu


fevereiro 03, 2015

Acordar

[Para ti
Feliz
Acordar
Acreditar
Sentido
Vida
Celebrar
Momentos
Nossos.]


Texto e Imagem de © João Abreu